LINHAS DE PESQUISA 1 - Processos Civilizatórios: Educação, Memória e Pluralidade Cultural

A Linha de Pesquisa 1- PROCESSOS CIVILIZATÓRIOS: EDUCAÇÃO, MEMÓRIA E PLURALIDADE CULTURAL (PROCEMP) trata do aprofundamento das questões teórico-metodológicas postas pelos processos civilizatórios presentes na construção da sociedade brasileira e baiana e seu rebatimento sobre as atividades e práticas educativas.

Discute os processos civilizatórios vinculados à formação do povo brasileiro, na negação de uma relação unívoca da escola à visão eurocêntrica de mundo; afirma a necessidade da introdução de uma visão plural do povo brasileiro e, da consideração da mesma pluralidade na sua inter-relação/ interlocução com outros povos no mundo. Trabalha a dimensão da memória como elemento constitutivo / construtor de identidades múltiplas, plurais e, no respeito à alteridade, busca a construção de uma ética de convivência, constituída tanto no interior da escola como fora dela. Analisa, por isso, a trajetória da construção da escola pública entendendo-a como possível instrumento de inclusão e construção dessa sociedade plural, bem como outras instituições pedagógicas e formas de educar-se que são desenvolvidas nos diversos segmentos da população.

Esta Linha de Pesquisa tem como princípios norteadores o respeito à alteridade e à diversidade, reconhecendo as diversas vertentes civilizatórias da população brasileira, considerando seus conhecimentos e valores - ou seja, o universo simbólico das mesmas - capazes de gerar novas linguagens pedagógicas, trabalhando com as ferramentas da História e Memória Social.

É suposto do grupo que a construção da igualdade (elemento necessário à consolidação de uma cidadania brasileira nos marcos de uma sociedade democrática) passa pela afirmação de identidade e pelo reconhecimento da diversidade humana. Aqui identidade é tomada como resultante de formas de inclusão em diversos círculos de solidariedade, gênero, raça, etnia , religião , etc; -estes,círculos de inclusão, conformam, espaços, territórios, fazendo iguais entre si seus membros , e preparam os elementos / práticas necessários para a luta pela inclusão nos círculos mais amplos: da cidadania , nacionalidade e humanidade.

Com este pressuposto, a análise das instituições pedagógicas e do seu papel na sociedade se amplia para incluir (além da História da construção do sistema escolar no Brasil e na Bahia) os modos de sociabilidade constituídos pelos contínuos civilizatórios e povos diversos, assim como daqueles segmentos da população cuja voz ou projeto de vida geralmente não é considerado ou é formalmente deixado de lado.

Essa Linha de Pesquisa compreende os seguintes Grupos de Pesquisa:

1) Grupo DESCOLONIZAÇÃO E EDUCAÇÃO (PRODESE), coordenado pela Dra. Narcimária Correia do Patrocínio Luz. Enfatiza as seguintes áreas temáticas: Aspectos Ético-Estéticos da Violência Escolar; Pluralidade Cultural e Educação e Ética da Coexistência. Através dessas temáticas, os professores e alunos a ele vinculados desenvolvem produções acadêmico-científicas no contexto da diversidade étnico -cultural das Américas. Essas produções vêm fomentando pesquisas, estudos e atividades de ensino e extensão, baseados numa ética que permita a garantia da coexistência e expressão territorial dos contínuos civilizatórios que caracterizam esse continente. Agrega, ainda, estudos e pesquisas sobre as formas de superação dos paradigmas neocoloniais e etnocêntricos que estruturam a política de educação no Brasil, além de elaborar e difundir conhecimentos sobre educação referidos às alteridades civilizatórias que constituem a formação social brasileira. Os resultados dessas iniciativas visam: a constituição de uma perspectiva de educação que tenha uma orientação teórico-metodológica e estruturação jurídico-política ancorada à pluralidade cultural da nação; além de estabelecer canais editoriais que se desdobrem da episteme africana e aborígine, a exemplo do SEMENTES, Caderno de Pesquisa que já entra no seu 3º volume; relações interinstitucionais ,a exemplo da Sociedade de Estudos das Culturas e da Cultura Negra no Brasil-SECNEB e a Rede Mundial por um Mundo Responsável, Plural e Solidário em Paris; elaboração de material didático para professores e público infanto-juvenil; cursos permanentes de atualização de professores; institucionalização de atividades de consultoria científica às comunidades tradicionais do entorno da UNEB e ações que articulam pesquisa e extensão, a exemplo do projeto educacional Odemodé Egbé Asipá com jovens oriundos de comunidades - terreiro.

2) Grupo MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO NA BAHIA, coordenado pela Dra. Jaci Maria Ferraz de Menezes. O grupo foi organizado em época anterior ao Programa e foi uma das bases que permitiu a sua criação; toma como problema central de pesquisa a democratização da educação na Bahia, das formas da implantação e desenvolvimento da escola pública e sua realização; procura entender o processo de inclusão - exclusão de determinados grupos sociais da escolarização assim como formas alternativas de aprendizagem e/ou movimentos sociais de busca da escolarização pelas classes populares. O grupo de pesquisa vem sistematicamente identificando acervos, reunindo informações e documentos da mais variada natureza para a constituição um Centro de Referência sobre Educação na Bahia e sua história. Organizou rede de pesquisadores sobre educação e sua história na Bahia, em processo de crescimento e qualificação, que pretende fazer consolidar, de modo a permitir a confluência dos estudos sobre educação e da adoção de uma forma interativa e inteligente de gestão das informações e conhecimentos construídos. São centros associados: Juazeiro, Senhor do Bonfim, Itaberaba, Jacobina, Valença, Teixeira de Freitas, Serrinha e Alagoinhas. Desenvolve o Projeto Memória da Educação na Bahia, e executou o subprojeto Memória Iconográfica da Escola e realizou também a revisão da coleta e organização da Legislação da Educação na Bahia e tem em preparação um Guia de Fontes sobre educação na Bahia, Bibliografia. O grupo está articulado com grupos de pesquisa na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e na USP na realização conjunta de um Programa de Qualificação Institucional, PQI PROMEBA/REDEMEMO. A profª Jaci Menezes orienta bolsa de desenvolvimento tecnológico regional – DTR/FAPESB, qualificando o Programa na área da pesquisa, especificamente no campo da história da música na Bahia. O prof. Wilson Mattos desenvolve pesquisa junto ao PROMEBA sob o título Ações Afirmativas na UNEB: Uma análise do posicionamento dos docentes sobre o sistema de cotas. O referido professor é também vice-líder do grupo de pesquisa Cultura, Memória e Desenvolvimento Regional.

3) Grupo EDUCAÇÃO E DESIGUALDADE, coordenado pela Dra. Delcele Mascarenhas Queiroz. Desenvolve o projeto Raça e educação: os excluídos do ensino superior e O Acesso de estudantes negros no ensino superior: acompanhando as ações afirmativas. O primeiro examinou as desigualdades raciais no ensino superior, tomando como campo empírico a Universidade Federal da Bahia, UFBA e foi premiado no 2º Concurso Negro e Educação/ANPED e resultou em comunicações em eventos nacionais e internacionais e publicações diversas, e está em fase de conclusão. O segundo é vinculado ao projeto interinstitucional, OBSERVATÓRIO DA COR: Educação superior e ação afirmativa no Brasil, envolvendo as universidades: UFBA, USP, UFRJ e UnB; conta com apoio financeiro da Ford Foundation, e pretende acompanhar a implementação da política de ações afirmativas, tomando como campo empírico a Universidade Federal da Bahia, UFBA. Tratam-se de pesquisas de cunho quantitativo, que trabalham com a base de dados da demanda de estudantes à UFBA no período 2001- 2007, operada através do SPSS. Neste grupo de pesquisa, também atua professora Dra. Ana Célia da Silva, pesquisadora dos temas referentes ao currículo e à discriminação do negro no livro didático. A referida professora vem sistematicamente se debruçando sobre formas de combate ao racismo e à discriminação no âmbito da educação e sobre formação de professores capacitados a este combate; atualmente coordena subgrupo de estudos,Formação de Professores numa perspectiva pluricultural e anti-discriminatória formado por alunos do PEC/UNEB e vem participando sistematicamente de atividades no Centro de Estudos Afro-Orientais da UFBA através de cursos de Extensão no CEAFRO.

4) Grupo HISTÓRIA ORAL, liderado pela Dra. Yara Dulce Ataíde. Desenvolve o projeto de Pesquisa A Escola e a Educação contra a violência, Professores e alunos construindo a cultura da paz, que tem como objetivos investigar a presença da violência na escola, no quotidiano de alunos e professores, discutir as relações entre professor, aluno, aprendizagem e violência, e propor um conjunto de atividades incentivadoras da construção de uma Cultura da Paz e do combate à desigualdade. Este projeto relaciona-se com a escola pública, avaliando as questões sócio-culturais que incrementam as diversas formas de violência e intervêm no baixo nível de aprendizagem dos alunos. Em virtude da complexidade do seu objeto está sendo usada a metodologia qualitativa da história oral de vida a fim de se conseguir aprofundar as questões inerentes à relação entre violência e biografia de alunos e professores.

 

 
Links Rápidos

Docentes da Linha de Pesquisa 1

Projetos de Pesquisa da Linha 1

Grupos de Pesquisa da Linha 1

Mapa do site

 

 
   
Universidade do Estado da Bahia - UNEB
Prédio de Pós-Graduação - 1º Andar
Avenida Silveira Martins, 2555 - Cabula / Salvador-Bahia-Brasil
CEP.: 41.195-001 Tel.: 0xx71 3117-2404 Fax: 3117-2394
Este site foi desenvolvido pela Lottusweb